Acertando suas Finanças Pessoais em Tempos de Preços Altos

11.12.2019 (Tempo de leitura: 10 minutos)

Blog

A cada dia que passa o preço dos bens de consumo ficam mais altos e as pessoas são obrigadas a recorrer ao cartão de crédito ou ao cheque especial para fechar suas contas no final do mês.

Isso ocorre principalmente pela falta de educação financeira ou simplesmente porque as pessoas em geral acham que dá muito trabalho controlar suas finanças e fazer um orçamento doméstico.

As compras por impulso são uma das grandes causas do desequilíbrio em um orçamento. Elas causam estragos que poderão acabar em restrição ao crédito e ao endividamento.

É preciso ter muito cuidado ao lidar com o dinheiro, ainda mais nesta época em que os preços dos bens de consumo estão tão altos e ter responsabilidade financeira é essencial para o bem-estar de uma família.

Existe uma série de providências que podem ser tomadas para que suas finanças pessoais fiquem sob controle.

Será preciso pensar não somente no curto prazo, cortando alguns gastos, mas também no longo prazo e envolvendo um esforço conjunto de toda a família.

Desse modo os benefícios virão mais fácil, seja poder comer fora de casa, comprar algo desejado ou quem sabe umas férias sem que isso cause um rombo em seu orçamento.

Se o seu objetivo é encarar de frente esse problema, deverá a partir de agora elaborar um orçamento doméstico para que suas finanças entrem novamente nos eixos.

Tomando essa atitude você terá as contas em ordem o que garantirá o bem-estar da sua família e quem sabe poderá alcançar algum objetivo que tenham em mente.

Veja abaixo alguns conselhos que poderão ajudá-lo:

Faça uma planilha e anote seus gastos

Essa é uma tarefa que deve ser enfrentada por toda a família. Será preciso anotar todos os gastos tanto fixos (aluguel, TV a cabo, escola, transporte e etc...) como os gastos variáveis (restaurantes, cinema, passeios etc...).

Dessa maneira determina-se os gastos de cada um e será possível localizar onde estão os desperdícios.

É importante que seus filhos participem de todo esse processo, assim sentirão que também são importantes e precisarão fazer algumas escolhas difíceis na hora de cortar alguma despesa. Isso será de grande valia para o futuro das crianças.

Assim começarão a ter os princípios básicos da educação financeira que trará grandes benefícios quando atingirem a idade adulta.

Uma simples planilha feita no Excel vai resolver grande parte dos seus problemas e com certeza vai deixar toda família assustada quando ver quanto gasto supérfluo fizeram durante o mês.

Com esse trabalho feito e levando em consideração sua renda dá para descobrir onde está o desequilíbrio.

Faça um diagnóstico de suas finanças

Com todas as informações em mãos é hora de juntar a família ao redor da mesa e discutir sobre o assunto.

Iniciaremos pelas prioridades como a matrícula das crianças na escola, material escolar, o plano de saúde...

Esses são pontos que devem ser considerados como prioridade.

Com as despesas fixas e as prioridades calculadas você irá descobrir se o seu salário dará para chegar ao fim do mês ou não.

Com isso feito chega a hora de avaliar onde dá para economizar e cortar gastos desnecessários. Não é preciso radicalizar, basta gastar menos com coisas que realmente podem ser reduzidas ou mesmo cortadas.

Uma boa conversa em família pode determinar quais são os gastos que poderão ser evitados ou simplesmente eliminados sem comprometer ninguém.

Os gastos fixos como aluguel, condomínio, transporte e alimentação à princípio podem parecer áreas difíceis de alterar, mas coisas muito simples como diminuir o tempo no banho, apagar as luzes de locais em que ninguém está são coisas básicas e fáceis de fazer.

Um passo mais difícil é em relação ao aluguel. Talvez seja possível encontrar uma casa mais barata na mesma região que você está hoje. Não custa dar uma pesquisada através dos sites imobiliários da internet.

O importante na verdade é escolher as prioridades com o apoio de todos para que suas finanças possam ficar equilibradas.

Outras possibilidades são usar menos aplicativos de transporte e mais o transporte público e evitar pedir comida pelo delivery, cozinhando em casa.

Gastos com telefonia, TV a cabo e internet normalmente podem ser reduzidos sem prejudicar o dia a dia da família.

As compras do supermercado também podem ser mais racionais se for utilizado um aplicativo no celular com a lista de compras a ser feitas. Acabar com as compras por impulso é fundamental.

Outra boa dica é passar a fazer compras semanais aproveitando a grande quantidade de ofertas existentes.

A questão aqui é a mudança de hábitos com um pouco de boa vontade.

Crie metas de curto, médio e longo prazo

Uma das maiores motivações para uma família atingir o equilíbrio financeiro de suas contas é trabalhar com metas.

Elas criam um objetivo e a tendência das pessoas é procurar chegar a esse objetivo.

Para isso sugerimos três etapas a serem cumpridas que são as metas a curto prazo, médio prazo e longo prazo.

É difícil estabelecer o tempo para que cada uma delas seja atingida, isso vai depender de caso a caso.

Veja estes exemplos abaixo:

  • Curto prazo: são metas que podem ser atingidas rapidamente e significam diminuir as despesas, começar a equilibrar suas finanças e permitem algum lazer ocasional.
  • Médio prazo: exigem um esforço maior, talvez com um trabalho extra para aumentar sua renda e fazer uma poupança para proporcionar dias de férias para a família.
  • Longo prazo: É uma meta a ser cumprida em alguns anos. Por exemplo, pagar uma previdência privada para que você possa se aposentar com certa tranquilidade, comprar um apartamento ou viver uma vida sem estresse depois de tantos anos trabalhando duro.

Conclusão

Como pudemos ver acima, não é difícil colocar suas finanças em ordem neste dias onde tudo é tão caro e cada vez mais precisamos ter atenção nas escolhas que fazemos.

Essa tarefa pode levar algum tempo, mas tenha certeza que com essa situação resolvida você e seus familiares poderão levar uma vida com menos estresse e muito mais agradável.

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos

Compartilhe no Facebook

Tem alguma dúvida ou depoimento? Compartilhe nos comentários

Também pode se interessar por