Coronavírus, economia e as finanças pessoais - notícias atualizadas

14.4.2020 (Tempo de leitura: 10 min.)

Blog

A pandemia global devido ao COVID-19 (Coronavírus) transformou a economia do mundo inteiro. E, claro, as finanças pessoais são impactadas com a crise humanitária e econômica que todos os países terão que enfrentar em 2020. Queremos com este artigo trazer informações sobre medidas governamentais, dicas para controlar os orçamentos e como agir neste momento de tensão, ansiedade e expectativa.

Nós estamos atualizando este artigo a todo momento. Última atualização: 19.05.2020





Crédito para Empresas


Linha de crédito pelo Pronampe é sancionada, facilitando o crédito para pequenas e micro empresas

  • Uma linha de crédito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte foi sancionada e publicada no Diário Oficial da União. Essas empresas podem solicitar crédito de até 30% da receita bruta anual da empresa no exercício de 2019. Caso a empresa tenha menos de um ano, o pedido pode ser de até 50% do capital social ou 30% da média do faturamento mensal. Todas as instituições financeiras podem conceder essa linha de crédito, que terá taxa máxima de juros igual à SELIC. (UOL)


Fintechs


Governo Federal não aceita ajuda de fintechs para distribuição do Auxílio Governamental

  • As fintechs tinham se proposto a ajudar na distribuição do auxílio governamental, mas o Governo Federal preferiu centralizar na Caixa a distribuição, vetando a participação dos bancos digitais por considerar que não era válido criar essa despesa. A Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs) criticou o veto presidencial. (UOL)

As fintechs seriam mais ágeis para distribuir o auxílio emergencial, segundo CEO da PagSeguro

  • Ricardo Dutra, CEO da PagSeguro disse que as parcelas do auxílio emergencial poderiam ser pagas rapidamente e em questão de dias pelas fintechs, sem filas e nem aglomerações. Segundo Ricardo, os microempreendedores individuais são exatamente a faixa de clientes atendidos pela empresa. “Teríamos muito mais agilidade em atender o cidadão neste momento tão difícil. (UOL)

Fintechs podem auxiliar na concessão de crédito e facilitar acesso a auxílios do Governo

  • As fintechs estão se oferecendo para triplicar a oferta de crédito a pequenos e médios empresários, chegando a 10 bilhões de reais em financiamentos. A ideia é que essas empresas financeiras com forte presença digital ajudem a injetar recursos na economia e também com a conexão de seus clientes, muitos deles Microempreendedores Individuais (MEI) com os recursos que o Governo Federal está disponibilizando. Faltam apenas pequenos detalhes de regulamentação. (UOL)


Interesse Público


Produção de carros cai 99% em abril, pior resultado da história

  • A produção de veículos em abril foi de apenas 1800 unidades, o pior resultado mensal desde 1957. A queda foi de 99% em comparação com o mês anterior, motivado, é claro, pela pandemia. As fábricas de automóveis tiveram uma paralisação voluntária, com Renault e BMW voltando de forma gradual e com restrições. Existe um protocolo com 34 medidas para o retorno dessas fábricas após o pior período da contaminação passar.(UOL)

Taxa Selic cai para 3% e exige maior “criatividade” de investidores

  • Após a taxa Selic reduzir para o patamar de 3% ao ano, os investidores terão de enfrentar um grande desafio pela frente. As aplicações em renda fixa passam a ser uma opção pouco interessante com os juros tão baixos e ainda a incidência do Imposto de Renda. A opção mais “tradicional” seria a Bolsa Brasileira, mas a crise política e também o enfraquecimento da economia nacional causa dúvidas sobre seu potencial. (Infomoney)

Estudo da GV indica que a cada dia mais pessoas se endividam por causa da pandemia

  • Já são visíveis os efeitos da pandemia do Covid-19 nos índices de endividamento das pessoas. Na semana passada o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) publicou que cerca de 30% da população brasileira está em situação de “estresse financeiro”. O indicador mostra que uma boa parcela da população está se endividando e ficando com o nome negativado nos serviços de proteção ao crédito. As principais causas disso são o desemprego, jornadas ou salários reduzidos e fechamento do comércio em geral (G1)

Aprovada linha de crédito para micro e pequenas empresas

  • O Senado aprovou o Projeto de Lei 1.282/2020 que cria uma linha de crédito especial para as micro e pequenas empresas. Será possível realizar empréstimos de valor correspondente de até 30% da sua receita bruta de 2019. A intenção é que essas empresas consigam manter os empregos durante o período da pandemia do Covid-19. (UOL)

Depois de turbulência, Bolsa sobe e Dólar cai

  • Com a difícil semana que terminou na esfera política, o dólar foi às alturas e a Bolsa caiu de forma acentuada. Agora as coisas começam a acalmar de novo. A Bolsa de Valores alcançou novamente os 80 mil pontos, com uma segunda forte e uma terça-feira que segue pelo mesmo caminho. Já o Dólar caiu mais de 3% nesta terça, caindo abaixo do patamar de R$5,50. No mundo os índices acionários também operaram em alta pela expectativa de uma retomada breve da atividade econômica. (UOL)

Covid-19 pode criar desemprego recorde

  • A pandemia do Covid-19 tem impactado diretamente no emprego. A continuar o isolamento social os empresários acreditam que mais de 3 milhões de vagas poderão desaparecer em um prazo bastante curto. Segundo pesquisas efetuadas pelas associações de empresários, uma série de empresas já reduziu seus quadros em 16,4%. Essas mesmas associações dizem ser imprevisíveis o número de demissões que poderão ocorrer, pois o impacto da pandemia está sendo demasiadamente pesado para a grande maioria das empresas. (UOL)

Estados começam a flexibilizar o isolamento

  • Após um levantamento do governo, dez estados da federação já tomaram medidas para a flexibilização do isolamento social instituído para evitar a disseminação do Covid-19. Foram levados em consideração aspectos econômicos, risco social e capacidade hospitalar para atendimento em UTIs. São eles o Distrito Federal e os estados do Espírito Santo, Santa Catarina, Goiás, Maranhão, Paraná, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Sergipe e Paraíba. O estado de São Paulo está avaliando medidas para uma flexibilização gradual a partir do dia 11 de maio. (UOL)

Justiça proíbe bancos de aumentarem juros em meio à pandemia

  • A Justiça do Distrito Federal proibiu os bancos de aumentar taxas de juros ou criar exigências a mais para concessão de crédito durante a pandemia do COVID-19. A decisão provisória foi tomada após uma ação popular contra a União e o presidente do Banco Central (Folha de S.Paulo).

Ministro do STF suspende cobrança por cheque especial não utilizado

  • O Ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu a cobrança pelo cheque especial não utilizado, algo que os bancos cobravam ao oferecer o serviço. O cenário da pandemia pelo coronavírus foi um dos argumentos usados para a medida. (UOL)

Liminar impede corte nos serviços de água, luz, gás canalizado e telecomunicações

  • Uma liminar concedida pela Justiça Federal impede o corte no fornecimento de serviços de água, luz, gás canalizado e serviços de telecomunicações. Os serviços que foram cortados por inadimplência também devem ser restabelecidos. (Estadão)


Auxílio Governamental


Segunda parcela do Auxílio governamental será liberada a partir do dia 20 de maio

  • Depois de idas e vindas com as datas da segunda parcela do auxílio governamental e problemas com a liberação da primeira ajuda, o governo liberou o calendário para o pagamento de R$600 para os brasileiros que se enquadram nas condições impostas. Quem puder optar por um depósito na poupança digital da Caixa pode receber o dinheiro a partir do dia 20 de maio. Quem quiser sacar em dinheiro nas agências da Caixa terá que esperar até pelo menos o dia 30 de maio. O auxílio será disponibilizado em 12 dias diferentes, na ordem dos meses de nascimento dos beneficiados. No dia 30 de maio a liberação será para os nascidos em janeiro, no primeiro de junho os nascidos em fevereiro e assim por diante até o dia 13 de junho para os aniversariantes em dezembro. (UOL)

Auxílio governamental não deve ser mantido depois da pandemia

  • Depois do secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade dizer que o auxílio governamental de R$600 poderia ser mantido após o pico da pandemia, o Ministério da Economia liberou nota no sentido contrário. O argumento apresentado é que as despesas excepcionais neste período não podem se transformar em permanentes para não afetar as contas públicas no próximo ano. (UOL)

Micro e pequenas indústrias reclamam que ajuda governamental não tem chegado

  • De acordo com o 2º Boletim de Tendências das Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo, realizado pelo Datafolha, o percentual das micro e pequenas indústrias que não estão conseguindo ter acesso às ajudas do governo contra a pandemia do Covid-19 aumentou de 71% em 14 de abril, para 75% no fim do mesmo mês. Isso significa que três em cada quatro empresas ainda não obtiveram acesso aos respectivos programas. Apesar do acesso ao crédito ter aumentado entre as pequenas e micro indústrias na última semana de abril, o número dessas mesmas empresas que não conseguiram o crédito ainda é bastante alto. (UOL)

Tesouro deve vender títulos para pagar a conta da pandemia segundo secretário do Tesouro

  • O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, declarou que o governo precisará aumentar o endividamento vendendo títulos. O objetivo dessa operação visa cobrir os custos com a pandemia do Covid-19, manter empregos e garantir ao menos uma renda mínima para os que não possuem um emprego formal. Esses títulos são oferecidos a investidores, pessoas físicas, empresas e bancos com o objetivo de financiar as atividades públicas. (UOL)

Beneficiários do auxílio emergencial com dificuldades em receber

  • Milhares de beneficiários do auxílio emergencial estão impossibilitados de acessar ao aplicativo “Caixa Tem”. A Caixa criou uma conta-poupança digital nesse aplicativo para depositar o benefício, mas em alguns casos os usuários não conseguem nem mesmo fazer o login. A movimentação dessa conta é virtual e tem como objetivo evitar aglomerações nas lotéricas e agências bancárias.A Caixa informa que esse problema está sendo ocasionado pelo número elevado de acessos, mas melhorias estão sendo aplicadas para um melhor desempenho. (Estadão)

Cerca de 30% dos pedidos de auxílio governamental foram negados

  • Dos 23 milhões de requerimentos realizados para receber o montante de 600 reais de auxílio, 28,7% dos requerimentos foram negados por não se encaixarem com os critérios estabelecidos (UOL)

Auxílio emergencial deve sair em até 48h após cadastro

  • O site do Cadastro Único está sofrendo com a alta procura e por isso um app será desenvolvido para processar os pedidos do auxílio emergencial de R$600 prometido pelo Governo Federal. Segundo o Ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, o aplicativo permitirá que o processamento seja feito em até 48 horas e deve ser lançado na terça-feira. Poderão receber esse valor: trabalhadores sem carteira assinada, microempreendedores individuais e desempregados que se encaixem nos critérios do Cadastro Único (UOL)

Governo de São Paulo destina dinheiro para empréstimos a juros baixos

  • As pequenas empresas estão entre as mais prejudicadas com a queda no consumo e a quarentena no estado de São Paulo. Por isso o Governo do Estado de São Paulo destinou mais R$150 milhões para empréstimos para empresas com faturamento anual entre R$81 mil e R$10 milhões. As condições foram alteradas: a taxa de juros será menor para os setores de economia criativa, parte do comércio, turismo e cultura, o prazo passa de 36 meses para 60 meses e a carência de três para 12 meses (UOL)



Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos

Compartilhe no Facebook

Tem alguma dúvida ou depoimento? Compartilhe nos comentários

Também pode se interessar por