Hora do Empréstimo: erros a evitar

19.7.2019 (Tempo de leitura: 10 minutos)

Blog

Perceber que é necessário um empréstimo não é uma hora feliz. Seja porque as contas estão no vermelho, ou você não poderá pagar aquele curso ou viagem para o exterior, ou então a casa dos sonhos está disponível, mas o dinheiro no banco não. Mas isso não quer dizer que a experiência precise ser traumática, muito pelo contrário.

A intenção deste artigo é falar sobre os erros mais comuns ao pedir um empréstimo e após conseguir o crédito. Você perceberá que eles são fáceis de evitar, mas muitas vezes é difícil escapar de certos maus hábitos.

O empréstimo precisa ser um divisor de águas

Pedir um empréstimo não pode ser uma regra, afinal eles custam caro, ainda mais em um país de juros ainda altos como o Brasil. Por isso ele precisa ser encarado como um balão de oxigênio no seu orçamento, não como o combustível que faz a máquina girar.

Antes de pedir o empréstimo você precisa estudar muito bem como você acabou nessa situação. Se as dívidas empilharam, o que levou a isso? Se é a hora de comprar um carro, este é mesmo o momento e você poderá arcar com as parcelas do acordo?

Caso você seja desorganizado com as contas, o pedido de um empréstimo precisa fazer você organizar a bagunça. Se você já é organizado, dê um passo adiante e faça projeções, estimule objetivos como poupar um tanto e até comece a investir.

Muito cuidado com o dinheiro

É difícil evitar a euforia de um montante entrando na sua conta sem que você tenha trabalhado por isso. Mas cada centavo dele terá que ser pago por você e ainda há os juros e taxas a mais.

Por isso muito cuidado com o dinheiro; não saia do planejado para fazer com ele. Caso tenha sobrado, ótimo. Guarde e pague as parcelas com essa sobra ou até pague diversas parcelas de uma só vez, o que sempre garante descontos. Nada de presentes e mimos com dinheiro que precisa ser pago de volta.

Pegar o empréstimo com o primeiro que vier

Um dos grandes avanços que a internet trouxe foi a possibilidade de acesso a muita informação e conteúdo. Por isso é difícil usar ignorância como desculpa para escolher um empréstimo que não seja o mais favorável.

Compare empréstimos. As taxas de juros e o Custo Efetivo Total (CET) sempre precisam ser explicados e as melhores empresas de crédito têm sites e fornecem toda a informação dos processos.

Só depois de pesar muito bem as condições apresentadas – juros, CET, parcelas, valores – é que você deve optar. O comprometimento é muito alto para você simplesmente fazer com qualquer um e se enfiar em um buraco sem ter total conhecimento do que estava em volta.

Confiar em qualquer empresa

Aqui é uma continuação do último item. Infelizmente há muitas pessoas e instituições mal intencionadas que só buscam pegar o dinheiro de pessoas e dar golpes.

Um dos mais comuns que existiam envolviam um pedido de dinheiro para a pré-aprovação do empréstimo, como se fosse uma garantia ou prova de pagamento. Claro que se tratava de uma fraude que lesou milhares de pessoas.

Por isso antes de assinar o contrato, seja fisicamente ou online, pesquise a instituição. Leia as avaliações e reviews. Procure críticas e veja se elas procedem e são pertinentes. E faça qualquer pergunta que for necessária para o atendimento ao cliente das instituições que você tem interesse.

Empresas boas sabem abrir esses canais e estão abertas para responder dúvidas. Empresas de má qualidade se escondem. Tenha isso em mente.

Optar por mais parcelas sem pensar muito

Ao fazer uma simulação é possível optar pelo número das parcelas em várias das financeiras que existem. E quanto maior o número de parcelas, menor o valor delas, o que sempre parece atrativo.

Pois bem, não caia nesse erro, já que você estará pagando mais juros e aumentando o Custo Efetivo Total do empréstimo. Caso seu orçamento permita, pague parcelas maiores, mas em um menor número de tempo, porque assim você pagará menos pelo valor pedido e pode seguir em frente na sua vida financeira mais rapidamente.

Ainda tem a possibilidade de pagar várias parcelas de uma só vez, o que é permitido. Novamente: se isso couber no seu orçamento, faça essa opção. Descontos são comuns nesse caso.

Ignorar o CET

A taxa de juros todos sabem o que é, ou pelo menos deveriam saber ao pedir um empréstimo. Mas o CET passa despercebido muitas vezes, o que não faz sentido porque esse é justamente o mais importante.

O Custo Efetivo Total tem maior peso porque ele também coloca na conta taxas extras, o IOF (Imposto sobre Operação Financeira) e outros custos para você ter total ciência sobre o que está pagando.

Todas as empresas de crédito são obrigadas a disponobilizar a informação do CET, mesmo que seja em letras pequenas e meio escondido. Portanto procure por isso porque é importante e coloque em seu planejamento.

Não procurar pelas Fintechs

Este é um grande erro. As fintechs – startups do mercado financeiro – causaram impacto no mundo inteiro, inclusive no Brasil, por seus processos desburocratizados, a importância dada à tecnologia e muitas vezes preços mais acessíveis.

Fazer um empréstimo no seu banco pode ter seus pontos positivos, mas as fintechs estão ai para ganhar clientes e oferecer serviços de boa qualidade. Não abra mão de pelo menos saber o que elas têm a dizer.

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos

Compartilhe no Facebook

Tem alguma dúvida ou depoimento? Compartilhe nos comentários

Também pode se interessar por